segunda-feira, 29 de julho de 2013

Seja otimista sempre...

Meu nome é Pollyanna, e eu não curtia muito ele não, achava grande e bem feio para ser bem sincera viu, mas não sei em que ponto da minha vida eu passei a gostar e me identificar com ele, e sim o meu nome é por causa da Pollyanna do livro. Me considero uma pessoa otimista, alto-astral e persistente... não me deixo abater assim tão fácil sabe, bem como no livro. 

Para quem não conhece, Pollyanna é um é um romance de Eleanor H. Porter, escrito em 1913 que fez muito sucesso. Ele conta a historia de uma menina de 11 anos, filha de um missionário pobre, que vai morar com uma tia rica que nunca tinha visto na vida, severa e rígida, depois que vira órfã. Pollyanna ensina as pessoas do seu novo convívio o jogo do contente, que havia aprendido com seu pai em uma ocasião onde esperava ganhar uma boneca e no lugar ganhou um par de muletas. Ele a ensinou que tudo na vida existia alguma coisa que nos deixa-se contente, sempre tentar olhar o lado bom e o que aquela situação tem a nos ensinar. E ela ficou feliz por não precisar de usar aquelas muletas. Depois deste dia, ela criou um jogo onde sempre procurava ver o lado positivo das coisas, algum motivo que a deixasse contente, foi assim então que surgiu o famoso (acredito que já tenham ouvido falar) o "jogo do contente".
É um livro bem bacana e facinho de ler, contagiante e com aquele ar puro e inocente que só criança consegue ter, recomendo!
Estava escrevendo tudo isso em outro post, mas parei para pensar... um pouco de otimismo em nossas vidas por favor! Quero reclamar menos, falar menos da vida dos outros e me importar mais com a minha, me importar menos com o que pensam de mim e me libertar mais destas amarras sociais, dizer mais sim para oportunidades e não para as coisas que desperdiçam meu tempo e não acrescentam em nada.
Ótima segunda! Ótima semana!!! ♡

"Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar, a gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é descobri-la."  Pollyanna (a do livro, rs)